Quem aqui nunca plantou feijão no algodão? 🙂 Ele é uma dessas plantas que fazem parte da nossa infância, da memória afetiva. E nesse mês os feijões-vagem podem ser plantados em qualquer região do Brasil. Deliciosos e super nutritivos, eles dão mais sabor às refeições, e até as suas flores (doces e com gosto de ervilha) podem ser usadas no preparo de pratos. Outro verdinho que pode crescer na sua horta, proporcionando uma alimentação saudável e saborosa, é o pepino. Ambos são plantas trepadeiras com flores comestíveis (as do pepino com gosto de picles), que garantem a versatilidade na hora do preparo de refeições!

A nossa sugestão é aproveitar novembro para semear pepinos e seguir cultivando feijõezinhos e novas memórias. Pensando nisso preparamos algumas dicas que podem lhe ajudar! Vamos cultivar?

1. Onde e como semear
Você pode plantar seus pepinos e feijões-vagem em vasos, canteiros ou floreiras! Não é preciso fazer mudas e transplantar, e você já pode escolher o vaso final assim que começar a preparar a terra 🙂 Esta deve estar sempre úmida (nunca encharcada) e bem nutrida. Se você optar por plantar em vasos, é muito importante que eles tenham furos na parte inferior, para evitar que a água fique acumulada e possibilitar uma boa drenagem.  Outra dica é fazer três camadas no vaso (argila expandida, areia e terra), saiba como aqui!


Feijão-Vagem em canteiro caseiro. Na imagem você confere as flores, que são comestíveis!

Tanto para feijões-vagem quanto para pepinos o ideal são vasos de no mínimo 30cm de profundidade. Para semear, faça um buraco de 0,5cm na terra e coloque três sementes dentro!  Se decidir plantar vários pepinos, o recomendado é o espaçamento de 50cm entre cada cultivar. Para os feijões-vagem o espaçamento pode ser de até 30cm entre cada planta.

2. Como adubar
O feijão-vagem tem em suas raízes bactérias que fixam o nitrogênio, o que ajuda a planta a se desenvolver. Na hora de adubar seus feijõezinhos lembre que eles precisam de mais nitrogênio no solo! Para isso você pode utilizar húmus de minhoca, composto orgânico ou esterco de galinha. Além deles, uma solução caseira é usar a borra de café (espere esfriar antes de aplicar). Para o pepino o segredo da adubação é o uso do boro, que deixa ele crocante, firme e faz a planta crescer mais saudável! Ele pode ser encontrado em casas agrícolas. Para utilizar, siga as instruções da embalagem.

Uma solução eficaz e ainda mais prática para garantir o bom desenvolvimento de seus pepinos e feijõezinhos é a utilização do Fertigarden Multiuso. Quando as plantas atingirem 10cm, você pode fazer as aplicações a cada dez dias. Você também pode utilizar o Fertigarden Flores durante a época de floração destas cultivares!

3.Tutorando para garantir o crescimento

Pepinos e feijões-vagem crescendo com auxílio de fios!

Ambas plantas são trepadeiras, o que torna essencial que elas sejam escoradas para se desenvolverem. Para isso você pode deixar elas se enroscarem em um arame, rede ou em fios. Outra opção é usar um tutor (que pode ser um bambu, um cabo de vassoura e feito com madeiras que você tem em casa). O feijão tem um caule super flexível e macio e ele mesmo se conduz, basta você dar um suporte usando alguma dessas técnicas para guiá-lo. Com o pepino o processo é o mesmo, e ele fica cheio de cachinhos que ajudam a planta a se enroscar, firmar e crescer bonita.

4. Uma pequena ajuda
Se você plantar pepinos é fundamental solicitar a ajuda de pequenas amigas, as conhecidas abelhas! Elas são as responsáveis pelo processo de polinização das plantas, que garante a reprodução vegetal. Neste caso, a nossa dica é plantar seus pepinos em ambientes externos ou em áreas abertas, onde é maior a possibilidade de contato com esses bichinhos. Outra recomendação é cultivar junto aos pepinos flores que podem atrair abelhas, como é o caso da Alyssum Branca ou Alyssum Violeta e dos Girassóis.


Na foto você confere uma abelha realizando a polinização nos pepinos. Para ajudar
a atraí-las, plante flores!

Alguns pepinos não precisam do processo de polinização, como é o caso do Pepino Durango, uma variedade de sabor mais adocicado e menos amargo que outros pepinos 🙂 No caso dele, você pode realizar o plantio em ambientes mais fechados e não precisa se preocupar com a ajuda das abelhas!

5. É hora de colher!
Outra característica em comum entre pepinos e feijões-vagem é que ambos produzem muito depressa, o que fará com que você colha rapidinho! O pepino normalmente fica pronto em 45 dias, e em variedades como o Durango você pode realizar a colheita precoce em apenas 35 dias. Já os feijões-vagem levam em média 60 dias para ficarem prontos. Se quiser colher as flores, pode fazer isto assim que elas aparecerem.

Além de muito saborosa, uma colheita de pepinos e feijões dura dois meses, proporcionando ingredientes a vontade para o preparo de pratos muito especiais! Outro ponto positivo é que quanto mais você colher estas variedades, mais as plantas vão produzir. A nossa dica para a hora de colher é começar sempre pelos frutos que estão mais próximos do solo, que são os mais maduros. E a sugestão para quem torce o nariz na hora de comer feijão-vagem, é provar uma variedade sem fio, como o Feijão-Vagem Xaxá!

Agora que você já sabe como cultivar, que tal escolher as suas cultivares preferidas aqui e adicionar esses verdinhos na sua casa? E se você quiser dicas rápidas sobre pepinos e feijões-vagem, não deixe de conferir este episódio da websérie Minha Horta!

Compartilhe com a gente as suas memórias de horta e histórias de seus feijõezinhos e pepinos (na terra ou na mesa) usando a hashtag #minhahorta 🙂