Existem várias motivações para se ter uma horta em casa que vão desde ter alimentos extremamente frescos disponíveis para consumo, utilizar essa atividade como ferramenta de conhecimento, conexão com a natureza, até mesmo como terapia. Algumas dúvidas são recorrentes entre os hortelões iniciantes e nesta hora, a informação certa faz toda a diferença. Este post traz as principais dicas para você iniciar sua horta com o pé direito. Convidamos a Agrônoma Amanda Inoue, Coordenadora de Pesquisa e Desenvolvimento da ISLA Sementes para sanar as principais dúvidas de quem está iniciando a horta.

Confira as principais dúvidas:

Como eu começo?
O primeiro passo é escolher o local da horta, identificando espaços disponíveis para o cultivo com as condições favoráveis às plantas de interesse. Por exemplo, gostaria de plantar dentro ou fora de casa? Tenho espaço disponível para cultivo direto no solo ou meu cultivo seria em vasos? Qual a disponibilidade de luz do sol onde será a horta?
Confira dicas certeiras para começar sua horta neste vídeo da série “Somos Todos Sementes” promovido pela Isla Sementes.

O que é preciso para a horta dar certo?
Dedicação e cuidados são fundamentais para que a horta dê certo. Entender quais as necessidades das plantas com relação à luz solar disponível, regas, adubação, controle de pragas e doenças, espaço para desenvolvimento, melhor época de cultivo das plantas escolhidas, fazer uso de produtos de qualidade, são pontos que levam ao sucesso na horta. Quando escolhemos sementes de ótima germinação, a muda cresce mais forte e o início do ciclo afeta diretamente no produto final, por exemplo, se for fazer uma muda para transplantar para um outro local, e esta muda não estiver com bom desenvolvimento, certamente terá problemas para fazer com que a planta se forme bem.

Quais os fatores devo levar em conta na hora de escolher o local para a minha horta?
Para a produção de hortaliças é importante levar em conta a quantidade de luz solar direta disponível no local, ou seja, por quantas horas de fato haverá raios de sol incidindo nas folhas das plantas. Escolha um local que receba ao menos 4 horas diariamente, pois é através da energia dos raios de sol, através da fotossíntese que as plantas terão um bom desenvolvimento.
Se for fazer a horta direto na terra, escolher um local onde não seja um solo compactado, optando por solos de textura mais leve e com boa drenagem para um bom desenvolvimento das raízes. Caso for utilizar vasos, importante escolher substratos que apresentem essas mesmas características.

Quais espécies são fáceis de plantar?
Começar com cultivos mais rústicos, que requerem poucos cuidados, que tenham um rápido ciclo de desenvolvimento podem trazer resultados em poucas semanas. Bons exemplos são as hortaliças de ciclo curto como rabanete, rúcula, alface e algumas outras folhosas e temperos como salsinha, cebolinha, coentro, manjericão. O plantio dessas variedades podem ser feitas o ano todo, e assim você pode realizar o plantio em várias épocas ao longo do ano. 

Como germinar sementes?
Após escolher as sementes que você quer cultivar, vale lembrar de conferir se a época condiz com o período recomendado para a sua região (consulte a embalagem das sementes). Plantios realizados fora da “janela de semeadura” podem não se desenvolver ou ter maiores dificuldades no ciclo, já que dependem de condições climáticas e ambientais favoráveis para o cultivo.

Para germinar, existem várias formas utilizadas. Algumas sementes não exigem muito trabalho, apenas fazendo o semeio em um local com um substrato de boa qualidade, leve, que permita um bom enraizamento. Manter o substrato úmido sem encharcar, é fundamental para que as sementes iniciem o processo de germinação e emissão das primeiras estruturas. O semeio pode ser feito em “bandejas sementeiras”, saquinhos, vasos, recipientes de reaproveitamento (garrafas, potes, latas, entre outros) ou direto no local definitivo. Algumas plantas como as cenouras devem ser semeadas direto no solo ou em vaso definitivo, evitando o transplantio das mudas, já que as raízes (que são a estrutura de interesse) já iniciaram seu desenvolvimento. 

Vale lembrar que cada semente tem potencial para formar uma planta e o espaçamento entre as plantas é diferente conforme a espécie cultivada. Confira nas embalagens qual a distância ideal entre plantas. 

Minhas sementes não germinam, o que eu fiz errado?
Cada semente é um ser vivo e dentro delas está o embrião. Caso as sementes não tenham passado por boas condições de armazenagem ou tenham sido cultivadas fora dos padrões ideais, elas podem não germinar. Os principais erros na hora de semear são: enterrar demais, além do recomendado para cada espécie (neste caso a planta não consegue emergir da terra e acaba morrendo); falta ou excesso de umidade na etapa de germinação, gerando colapso das estruturas; plantio fora da época recomendada (neste caso a temperatura é o principal fator climático, pois em condições de temperatura fora do ideal, as sementes não germinam.

Com quantos dias posso transplantar as mudas de tomate para o canteiro?
Esta informação serve para os tomateiros assim como para outras espécies em geral. Após as mudas atingirem cerca de 10 centímetros, podem ser transplantadas para o local definitivo onde irão completar o ciclo. Evite danificar as raízes e lembre de regar a terra logo após o transplante. A terra deve estar apta para receber as mudas, neste caso, você pode preparar o terreno com antecedência, nivelando os canteiros ou ainda realizando adubação de pré-plantio, incorporando cerca de 30 gramas de NPK por metro quadrado de área cultivada. Esta adubação irá garantir um bom “arranque inicial” das mudas e podem ser realizadas adubações posteriores, conforme a necessidade das plantas.

O que plantar quando não tem sol?
O cultivo de microverdes é uma solução de horta em pequenos espaços ou onde não há sol direto. O cultivo é feito em bandejas, vasos ou outros recipientes, usando terra, papel umedecido ou fibras vegetais que sirvam como base para as sementes. Entre 7 e 14 dias se obtém o produto para consumir, o qual é extremamente rico em sabor, cor e nutrientes. São dezenas as variedades para colheita de microverdes: rúcula, manjericão, salsinha, cebolinha, nabo, agrião, acelga, almeirão, couve, rabanete, beterraba, cenoura, entre outras. 

Microverdes de repolho roxo prontos para colheita.

Horta em apartamento, qual melhor vegetal para plantar?
Em apartamento normalmente são utilizados vasos para o cultivo, portanto, importante ser hortaliças de fácil adaptação nesse ambiente. Hortaliças como alface, rúcula, cebolinha, espinafre, manjericão são ideais. Se tiver a possibilidade de colocar o vaso em um local que tenha espaço para um desenvolvimento vertical maior das plantas, pode ser cultivado até mesmo tomate cereja e pepino, fazendo a condução das plantas através de tutoramento utilizando estacas ou fios condutores. Utilizando vasos com maior profundidade pode-se cultivar também cenoura, beterraba e rabanete.

Como saber quando está na hora de adubar?
O adubo é o alimento da planta, que irá contribuir diretamente no seu desenvolvimento. Pensando nisso, o momento ideal de adubação será nas fases onde ela demanda maior energia. Desde a fase de mudas, crescimento, desenvolvimento, floração e maturação dos frutos pode ser feita a adubação. Na prática as plantas devem ter os nutrientes na terra para se desenvolver bem, estando saudáveis ao longo de todo o ciclo para gerar um produto final de qualidade. 

Para a produção de frutos como tomate, pepino, abóboras, pimentões, por exemplo, é fundamental adubar durante o início do período reprodutivo, durante as fases de  formação e desenvolvimento das flores. Assim evitamos o abortamento floral e frutos pequenos, sem sabor.
É importante observar a resposta da planta à adubação, verificando que se a planta está vigorosa, sadia e com boa coloração e formação. Assim evitamos também a situação contrária, das plantas com aspecto diferente do ideal (amarelada, aparentemente fraca, com poucos frutos e menores do que o ideal, ou qualquer outra anomalia). Nestes casos a adubação pode estar em falta ou excesso. Se tiver acesso a um técnico ou profissional da área, recomenda-se solicitar uma orientação adequada para essa segunda situação.
Aprenda a adubar corretamente suas plantas.

Qual a melhor forma de oferecer os nutrientes?
Vai depender do tipo de nutriente. De forma geral, as plantas se “alimentam” através das raízes, portanto, fornecer os nutrientes de modo que entrem em contato com seu sistema radicular é essencial, podendo ser através de misturas no substrato antes do plantio e também depois da planta estabelecida. Os nutrientes podem ser por meio de adubos sólidos (granulados, farelados, pó) ou líquidos (junto com a água que irá fazer as regas), podendo alguns também ser pulverizados nas folhas através de borrifadores, por exemplo dos adubos foliares. Na prática você deve ler os rótulos dos adubos que escolher e seguir as instruções de uso (dosagem, frequência de aplicação, etc). Evite aplicar além da dose recomendada para não salinizar o solo nem queimar as plantas.

Alguns adubos são mais indicados para a fase vegetativa da plantas, com níveis balanceados de nitrogênio, potássio, cálcio e outros minerais. Já para as fases de floração e frutificação, as plantas são mais exigentes em cálcio, potássio e magnésio, e podem ser beneficiadas com o uso de adubos específicos para esta fase.
Veja como é fácil aplicar o adubo organomineral Fertigarden.

Cada planta vai ter uma necessidade específica?
Sim, na mesma ideia que cada organismo funciona de uma forma particular, as plantas também têm suas particularidades. Algumas precisam de mais de um determinado nutriente e outras menos, assim é importante estar atento a quais seriam essas necessidades de cada uma para que se tenha um bom resultado na horta. As plantas de folhas mais finas e estreitas transpiram menos e consequentemente tomam menos água do que as de folhas mais largas, e sabendo disso você pode organizar as regas nos diferentes canteiros ou vasos, de acordo com a demanda de cada grupo de plantas.

Quais os cuidados no plantio de coentro?
Para o coentro, assim como toda planta que for cultivar, é importante estar atento à época mais adequada para seu desenvolvimento. No caso do coentro, é importante escolher as épocas onde não haverá temperaturas muito baixas, pois é uma planta que cresce melhor no calor. No local onde irá cultivar é essencial que tenha uma boa luminosidade, podendo ser a pleno sol ou que incida o sol por um período do dia, evitando locais muito sombreados. Ele tem característica de não ser tão exigente com solos férteis, mas o melhor é que tenha boa disponibilidade de matéria orgânica e o solo seja leve, com boa drenagem. Plante as sementes no local definitivo (vaso, canteiro, jardineira) e faça limpeza manualmente das plantas espontâneas que crescem junto do coentro, para que elas não atrapalhem o desenvolvimento do coentro, competindo por espaço e nutrientes. Ao fazer as regas, deixar o solo úmido, mas não encharcado.
A colheita das folhas pode começar de 30 a 70 dias após a germinação. Colher a planta inteira ou se preferir, ir colhendo as folhas mais externas conforme uso, procurando não retirar mais que um terço das folhas para não enfraquecer muito a planta.

Qual a melhor forma de identificar as possíveis doenças que podem acontecer na minha horta? Tenho que estar atento para quais sinais?
De modo geral, as doenças mais comuns são causadas por fungos, bactérias e vírus de plantas. Na horta, para identificar que uma planta está doente irá observar que ela estará diferente das outras, talvez mais amarelada, ou com folhas encarquilhadas (retorcidas) ou manchadas e em casos mais severos começa observar elas murchando. A observação deve ser feita nas folhas primeiramente, verificando se há sinais de amarelamento, esporulações de fungos (poderá visualizar como uma espécie de “pó” branco nas partes de cima ou debaixo das folhas), se as folhas estão enrugando ou murchando. 

Como combater pragas de modo natural e eficiente?
Uma forma eficiente é buscando sempre o equilíbrio do ambiente que está cultivando. Isso é possível através da manutenção da diversidade de plantas (não eliminar totalmente as plantas invasoras dos canteiros, de modo que as deixe em local onde não irá atrapalhar o desenvolvimento das suas plantas é uma boa opção para manter ativo o ambiente para os inimigos naturais, que são aqueles insetos que vão te ajudar a combater naturalmente as pragas indesejadas pois eles se alimentam delas). Outra forma é fazendo plantio de plantas que tenham propriedades repelentes de insetos-praga na horta (como por exemplo Tagetes).

Como evitar doença no manjericão?
Não somente no manjericão mas também em qualquer outro cultivo, para evitar doenças é importante entender que para a boa saúde das plantas diversos fatores estão correlacionados: clima, solo, variedade cultivada, adubação, irrigação e demais tratos culturais, presença e população de pragas e plantas daninhas invasoras.
Para cultivos com boa sanidade o primeiro ponto a observar é o cultivo em local livre de doença, sem restos de cultivos anteriores que possam trazer os inóculos das doenças novamente. Outro pilar é a escolha de cultivares que tenham resistência às doenças, sendo assim sementes de qualidade. No caso de plantar direto por mudas, escolha plantas bem formadas, que esteja isenta de doenças ou qualquer tipo de patógeno, evitando assim que estes se alastrem na sua horta futuramente. Para plantas fortes e saudáveis é importante cuidar da nutrição adequada para as plantas, através da adubação, pois plantas que não estão bem nutridas ficam mais suscetíveis ao ataque de doenças.

O que fazer quando as plantas estiverem doentes?
Em caso de aparecimento dos primeiros sintomas da doença, fazer uso de algum mecanismo de controle, de preferência natural ou biológico, com organismos antagônicos como Trichoderma ou simbiontes como Micorrizas. Também é uma opção utilizar extratos vegetais ou óleos essenciais para controle. Procurar eliminar restos culturais, fazendo plantio de outras culturas para depois plantar novamente o manjericão (isto se chama rotação de culturas e ajuda a diminuir a fonte do inóculo/ do “causador” da doença), plantio em espaçamentos adequados evitando que as plantas fiquem muito adensadas (quando se está muito adensado, cria-se um microclima favorável para o surgimento de doenças), fazer podas de ramos (tira-se partes doentes, ajuda também no arejamento da planta).
Quando for manusear a planta e fazer podas, fazer desinfecção das ferramentas antes e após uso, com água fervente.
Fazer controle de insetos vetores (aqueles que transmitem doenças às plantas, como viroses). Pode-se usar armadilhas como por exemplo garrafas pets pintadas com cola entomológica amarela. Elas irão atrair esses insetos vetores pela cor e eles ficarão grudados aos encostarem. É um forma eficiente e de baixo custo para controle de mosca branca, trípes, traça em pequenas hortas.

Minha plantação de pimenta biquinho está cheia de cochonilhas, o que posso fazer?
Para realizar o controle dos insetos é possível realizar técnica de controle chamada “catação manual” com auxílio de uma escova de dentes ou pano úmido, eliminando todos os insetos das folhas e ramos. Algumas caldas caseiras podem ser usadas para aplicação com borrifadores e pulverizadores, como calda de fumo, cinamomo, arruda, emulsão de óleo mineral. Quanto mais cedo os insetos forem percebidos e controlados, menos danos as plantas irão sofrer. Faça o monitoramento das suas plantas, criando uma rotina de cuidados gerais na horta (irrigação, adubação, monitoramento, etc).

Confira mais dicas para um bom manejo da sua horta.

Como podar os temperos?
Cada espécie possui uma forma melhor de realizar a colheita, de acordo com as características de formação dos ramos e frutos, assim como resposta à poda/colheita. Temperos que formam ramos com galhos laterais como alecrim, manjericão, hortelã, tomilho e orégano podem ser cortados nas pontas dos ramos, logo acima de uma gema (local onde brotam os galhos laterais). Assim haverá redistribuição da seiva e em poucas semanas estes brotos estarão maiores, deixando a planta sempre cheia, compacta. 

Já os temperos que formam folhas únicas como salsa, coentro, cebolinha e sálvia, devem ser podados cortando as folhas rente à base, sempre de fora para dentro, estimulando que as folhas novas (as mais do centro) continuem se desenvolvendo.

No caso dos frutos é interessante colher os já maduros, com coloração e tamanho esperados para a cultivar em questão. Quando realizamos a colheita escalonada, estimulamos que os frutos ainda verdes continuem seu processo de maturação.

Assista este vídeo e veja como é fácil colher da forma certa.

Colheita de manjericão, usando uma tesoura limpa e afiada.

Qual a melhor forma de armazenar as sementes que não utilizei?
As embalagens podem ser aproveitadas para guardar as sementes mesmo depois de ter o pacote aberto. Lembre de fechar, dobrando o pacotinho e selando com um adesivo ou clips (assim evitamos que haja entrada de ar e umidade). Armazene em um espaço na geladeira ou em outro local fresco, seco e sem luminosidade.

Vocês dão curso para quem não tem experiência em horta?
Não temos modalidades de cursos no momento, mas você pode encontrar muitas dicas e informações nos canais de comunicação da ISLA Sementes. O Canal do Horticultor é um ótimo local onde você encontrará diversas dicas técnicas de cultivo e as experiências de outros produtores. Além disso, recentemente foi lançada a série de vídeos no IGTV da ISLA “Somos todos sementes”, com dicas práticas de cultivo na horta, desde o plantio até a colheita.

Onde posso comprar sementes de qualidade?
É fundamental prezar por adquirir de empresas que sigam rigorosamente as normas estabelecidas para produção e comercialização de sementes, que estejam devidamente embaladas e identificadas, e que contenham todas informações a respeito da procedência e garantias da semente como pureza e potencial de germinação. Na ISLA, você pode comprar sementes de qualidade através de vários canais como atendimento via televendas (0800.709.5050), distribuidores, revendas em todo o país e também direto no site www.isla.com.br.

A principal dica para quem está começando na horta é não desistir caso algo dê errado, e tornar esta experiência um verdadeiro aprendizado. Alguns cultivos são simples mas outros podem requerer várias tentativas até o sucesso. Pensando nisso, uma boa estratégia é iniciar com cultivos de ciclo mais rápido, menos exigentes em manejos e procurar sempre pesquisar sobre a variedade antes para entender quando plantar, de que forma, o que a planta irá precisar e como as pessoas que já plantaram fazem em suas hortas. 

Confira neste post 5 dicas para tirar a horta do papel.